23/02/2015

Indústrias de mais quatro segmentosrecebem o Selo Ambiental

O Senai entregou o Selo Ambiental do PSE (Programa Senai de Ecoeficiência) para indústrias de quatro segmentos, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS). Foram reconhecidas por suas práticas ambientais com o selo de cor verde as indústrias Agroenergia Santa Luzia, Energética Santa Helena, Inflex Indústria e Comércio de Embalagens e International Paper, enquanto a Vetorial Siderurgia recebeu o selo de cor azul.

 

No caso do Selo Verde, as indústrias recebem 5% a mais de incentivo fiscal, enquanto no Selo Azul a empresa tem direito de  4% a mais de incentivo. O intuito do Programa é incentivar que as indústrias busquem cada vez mais a sustentabilidade, destacando que o selo do PSE ocorre de acordo com o previsto em decreto estadual. O diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, lembrou que o PSE estimula as indústrias a terem metas desafiadoras de práticas em prol do meio ambiente. "Mesmo para aquelas que já têm plano de sustentabilidade implantado, o Selo Ambiental estimula a realização de ações, uma vez que a metodologia prevê melhoria contínua dessas práticas", analisou.

 

RECONHECIMENTO - Para as indústrias reconhecidas pelas práticas desenvolvidas com relação ao meio ambiente, o Selo Ambiental do Senai valida as ações já realizadas e estimula a busca por mais melhorias. O gerente de pessoas e administração da Agroenergia Santa Luzia, David Amorim, destacou que o PSE agrega e muito na rotina das indústrias. "Nossa indústria é por si só sustentável, viemos com tecnologia e ecoeficiência, por isso o PSE nos interessou desde o começo estimulando ainda mais as melhores práticas", declarou.

 

Já o diretor de operações da Energética Santa Helena, Bruno Coutinho, destacou que a preocupação com práticas sustentáveis integra os princípios da empresa. "Pretendemos manter este nível de trabalho e continuar evoluindo com as ações para melhoria contínua", afirmou. A coordenadora de saúde, segurança e Meio Ambiente da International Paper, Juliana Cruvinel, também salientou a satisfação ao receber o Selo. "Foi uma grata surpresa receber o selo o verde. Sem dúvidas ele significa reconhecimento por termos esta preocupação com o meio ambiente", disse.

 

Na mesma linha o diretor industrial da Inflex, Evandro Luiz Vicente, acrescentou que o Selo traz destaque no mercado, com os clientes, fornecedores e comunidade em geral. "A iniciativa do Selo chama a todos a se esforçarem em busca de melhores resultados e eles contribuem com o meio ambiente", garantiu. Para o diretor-administrativo financeiro da Vetorial Siderurgia, Moacir Silva, o selo coroa todo o trabalho realizado. "Essa iniciativa vem coroar um trabalho árduo que levou muito tempo para ser desenvolvido. Ficamos satisfeitos com a pontuação e agora vamos continuar buscando melhorias e conseguir o selo verde", declarou.

 

PSE - As indústrias receberam o Selo Ambiental do PSE conforme parâmetros estabelecidos no Decreto Estadual nº 13.606, de 25 de abril de 2013, que prorroga até 2028 os benefícios fiscais para as indústrias do Estado, permitindo ampliação do percentual de incentivo já concedido mediante efetivação do plano técnico de sustentabilidade ambiental das empresas. Desta forma, os Selos Ambientais do Senai, que integram o PSE, classificam a eficiência ambiental das indústrias, permitindo a ampliação, em até 5%, do percentual do benefício fiscal já concedido mediante à efetividade do plano técnico de sustentabilidade ambiental das empresas.

 

O Programa prevê a concessão de selos ambientais nas cores verde, azul, laranja, marrom e branco, sendo que cada um tem sua equivalência entre a pontuação e o percentual do incentivo fiscal concedido. O Selo Verde tem conceito entre 81 a 100 pontos e concede à indústria 5% a mais de incentivo fiscal, enquanto Selo Azul tem conceito entre 61 a 80 pontos e incentivo fiscal de 4%, o Selo Laranja tem conceito entre 41 e 60 pontos e 3% de incentivo fiscal, o Selo Marrom tem conceito entre 21 e 40 pontos e incentivo fiscal de 2% e o Selo Branco tem conceito entre 1 a 20 pontos e incentivo fiscal de 1%.

 

A pontuação poderá ser revista a qualquer tempo, na vigência do benefício fiscal ou na vigência do prazo estabelecido para execução do processo de auditoria, adequando-se a um novo resultado, aumentando ou diminuindo o nível do selo no limite entre 1% e 5%. Caso haja uma infração ou descumprimento, mesmo que parcial, em relação à Legislação Ambiental e ao Licenciamento Ambiental, a indústria perderá o selo ambiental concedido.

 

 

Edição Online

23.02.2015

Edição 72

Ver Edição

Fiems no facebook

Fiems no twitter

Edi��es Anteriores