23/02/2015

Programa Conexão Mundo leva 4 alunos do Sesi e Senai de MS aos Estados Unidos

Os alunos do Ebep (Educação Básica do Sesi articulada com o Ensino Profissional do Senai) Leonardo Verão Veriato (Dourados), Kevin da Silva Ferraz (Dourados), Emily Rafany Brito Muniz Teodoro (Três Lagoas) e Bruno Victor Salvaterra Batista (Corumbá) e estudantes do Sesi e Senai de outros 17 Estados embarcaram para um intercâmbio de duas semanas nos Estados Unidos. Eles são os 5% dos pouco mais de dois mil alunos que tiveram melhor desempenho na edição 2014 do Programa Conexão Mundo, promovido pelo Sesi e Senai em todo o Brasil.

 

Jackson e Traverse City, em Michigan, Kallispell, em Montana, e Denver, no Colorado, são os destinos dos estudantes, sendo que nessas cidades eles têm visitas técnicas e passeios culturais para praticar o idioma em museus, escolas, universidades e indústrias locais. "A língua estrangeira ainda é um diferencial competitivo no mercado de trabalho. A indústria precisa de pessoas como esses jovens, com talento e vontade de fazer diferente", disse o gerente-executivo de educação do Sesi Nacional, Henrique Pinto, durante encontro com os intercambistas realizado em Brasília (DF).

 

Ele explica que o Programa foi criado pelo Sesi e pelo Senai, em parceria com a organização não governamental US-Brazil Connect, para ensinar inglês com o intuito de melhorar a qualificação dos jovens profissionais brasileiros. O curso, de cinco meses, é distribuído em três etapas. Na primeira e na terceira, os alunos participam de aulas virtuais, que são feitas pelo Facebook, hangouts (bate-papos com webcam pelo Google) e por um site especializado em ensino virtual. Nas aulas e atividades a distância, os alunos brasileiros interagem pela internet com monitores americanos, chamados de coaches, sendo que cada monitor é responsável por uma turma de 10 a 12 alunos.

 

As fases a distância são intercaladas por uma etapa presencial, em que os monitores americanos vêm ao Brasil para dar aulas por um mês. Essas aulas ocorrem de segunda a sexta-feira, em junho e julho, no período de férias dos brasileiros, e envolvem dinâmicas, jogos e simulação de situações comuns do mercado de trabalho. "No início eu estava com medo, pensava que aulas pela Internet não iriam funcionar. Mas foi ótimo. Qualquer dúvida que a gente tinha, era só entrar no Facebook e falar com o professor, tudo era muito rápido", explicou Leonardo Verão Veriato, do Sesi de Dourados.

 

De acordo com o professor aposentado de novas tecnologias da Universidade de São Paulo (USP), José Moran, a metodologia desenvolvida pelo Sesi e pelo Senai traz benefícios ao aprendizado. "Se aproveitar do ambiente já utilizado pelo aluno é muito interessante. O Facebook entra como uma ferramenta para troca de informações rápidas. É um diferencial que devemos valorizar", explicou o especialista, que atua com projetos de inovação na educação.

 

 

Edição Online

23.02.2015

Edição 72

Ver Edição

Fiems no facebook

Fiems no twitter

Edi��es Anteriores